Outros Nomes, Como O De Irene Lisboa?

Outros Nomes, Como O De Irene Lisboa? 1

Outros Nomes, Como O De Irene Lisboa?

O porta-voz do Governo em funções, Isabel Celaá, assegurou hoje que Pedro Sánchez foi oferecido de forma clara e com total honestidade” um “Governo de coalizão”. Isso, contudo, não significa que o líder Podemos entre o Executivo: “É mais honesto expressar que o senhor Igrejas não cabe no armário por causa de não se dão as condições políticas nem funcionais”.

Na conferência de imprensa posterior ao Conselho de Ministros, a ministra da Educação e porta-voz do Governo em funções declarou que, Unidas Podemos “pedia um Governo de coalizão e Sánchez tem de um Governo de coligação”. Mas o recife, outra vez, seria o papel que o líder da formação, a morada ocuparia nesse Executivo: “É um propósito inasumible sacrificar o interesse geral, o interesse de uma pessoa”. Celaá, que não acredita que o líder Podemos “ir por aí”, ponderou Igrejas teria “mais liberdade” do Congresso dos Deputados, que, sentado à mesa do Conselho de Ministros Como Outros nomes, como o de Irene Lisboa?

O veto ao líder Podemos parece bastante ríspido por porção do actual Governo em funções. No intuito de impossibilitar este impasse político, o presidente do Governo entrará em contato com os líderes das principais forças políticas “nas próximas horas”, segundo confirmou Celaá. O que fará para tentar convencê-los de uma abstenção que facilite a formação de um Executivo, pois “uma investidura não prejudica que não tenha uma tarefa de oposição em marcha, simplesmente não trava”.

Interpol, indeferiu o pedido em vista do que era contrária aos seus estatutos, que o impedem de se intrometer em perguntas de feitio político. Entre as primeiras medidas econômicas do governo, anunciadas através da ministra de Finanças― encontrou-se uma “perda do gasto público”. Afirmou que as contas fiscais estavam “muito enfraquecidos”. União Europeia e da OEA (Organização dos Estados Americanos).

as eleições presidenciais venceu o direitista Porfirio Lobo Sosa, do Partido Nacional de Honduras. Micheletti se manteve à frente do governo até o dia vinte e um de janeiro de 2010, no momento em que delegou a administração do mesmo através do teu Conselho de Ministros, mesmo não apresentou a renúncia.

Uma das últimas ações do mandatário foi a sanção do decreto promulgado pelo congresso hondurenho em que se expressava a retirada do país da ALBA (Aliança Bolivariana para as Américas). Em vinte e sete de janeiro de 2010, dia de tua posse como presidente de Honduras, Lobo proclamou uma anistia geral pros golpistas. Em Honduras, os empresários, a Igreja católica, o Congresso, o exército e os juízes concordaram que o golpe de Estado ―o sequestro e deportação do presidente Mel Zelaya― tinha sido uma sucessão presidencial bacana.

No mês de agosto, a Corte Suprema de Justiça local emitiu sua posição ao admitir que os acontecimentos do 28 de junho resultaram numa “sucessão constitucional”. O 1 de julho de 2009, representantes de movimentos sociais e simpatizantes de Zelaya e dos sindicatos de Honduras anunciaram uma greve geral em demanda do retorno de Zelaya ao povo. O presidente do Comitê para a Defesa dos Direitos Humanos em Honduras, Andrés Pavón, falou que tinha sido montada uma frente cívico patriótico para repudiar Micheletti.

  • ERC inclina-se pela abstenção pela investidura de Sánchez e olha em frente com Bildu
  • Tem defendido que o PP melhoria Portugal “sem elevar a voz e sem stress”
  • quatro Outros pontos de visibilidade 2.4.Um Relatório Kinsey
  • 1 Corte Internacional de Justiça

No final do dia, a marcha ultrapassava 20 000 pessoas. Alguns manifestantes denunciaram ter demorado 4 dias para entrar a pé à capital, após o ametrallamiento, por cota de pessoas vestidas com roupas do exército de Honduras, as rodas dos ônibus em que viajavam. Outros alegaram que, para que lhes permitissem a passagem pra capital tiveram de expor diante as autoridades que não chegavam a absorver-se às marchas a favor de Zelaya, entretanto as marchas em apoio de Michelleti. Segundo o jornal Prensa Latina, numa das torres da instalação, foram enviados, no mínimo, 2 atiradores que apontavam pra multidão, no tempo em que helicópteros patrulhavam a área.

A concentração nos arredores do Aeroporto Internacional de Toncontín inundou os militares, que se viram obrigados a afastar alguns dos retentores que impedem o acesso ao mesmo. Contudo, os atiradores continuariam apostados em telhados do aeroporto. No dia 7 de julho, a primeira-dama, Xiomara Castro (esposa do presidente Mel Zelaya), liderou um protesto após estar oculta por meio do dia do sequestro de teu marido. O 1 de julho, em Choluteca, deu-se uma manifestação de centenas de pessoas contra Zelaya, os chamados “camisas brancas”.

por