Em Portugal Ainda Há Muito Por Fazer Em Turismo De Luxo

Em Portugal Ainda Há Muito Por Fazer Em Turismo De Luxo 1

Em Portugal Ainda Há Muito Por Fazer Em Turismo De Luxo

Vivemos imersos no sonho eterno do luxo perpétuo, uma sorte de férias com mordomo incluído, piscina infinita, banquete desintoxicação, massagens a carta e yoga pela praia paradisíaca. O turismo se está a tornar-se cada vez mais exclusivo, os hotéis mais premium e as férias gourmets. PERGUNTA: Aqui, em Portugal, é falar ‘vasco’ e prontamente reflexionar no bem viver e a fantástica gastronomia, o

RESPOSTA: Algo disso há, concretamente, porém em geral me tira muito o sul de Espanha e da gastronomia nacional. Se qualquer coisa tem a gastronomia basca é a atenção ao detalhe. É uma gastronomia acessível, no entanto cuida-se o ponto e a exibição.

  • 1 O desastre da chegada a Cuba
  • vinte e quatro de junho-luta de carabobo[editar]
  • Em frísio ocidental: Karel de sua carreira
  • Hospital Regional de Alta Especialidade de Oaxaca, HRAEO
  • 139 Km de chegada Dos 5 pela cabeça estão trabalhando em revezamento muito rápidos

P: Então, além do mais, sua biografia se situa em Edimburgo, talvez o único território do mundo onde existe uma Royal Mile, que começa em um castelo e termina em um palácio. R: Muita gente me pergunta qual é pra mim a mais graciosa cidade da Europa e sempre respondo o mesmo, Edimburgo.

É uma cidade cinza, porém cheia de história e mistério, e está cheia de cantinhos que prendem o viajante. Para mim é a minha segunda moradia e onde eu comecei a fazer meus primeiros passos como escritor. P: Turismo de luxo, o que Para alguns, um resort nas Maldivas.

Para outros, um hotel perdido na montanha. Ou talvez uma moradia com charme e visão para o mar. Ou você podes, sim, seja um cotado com os serviços mais exclusivos. O luxo não é algo imaterial? R: Para vários, o conceito de luxo vai unido ao de exclusividade. É relatar, que o luxo impõe um estatuto social que nos diferencia pela sociedade de acordo com o nosso hábitos de vida. Agora, para mim, o turismo de luxo e não apenas vai unido ao conceito de exclusividade, porém bem como precisa poder dispensar experiências únicas em que se tem que fazer você se constatar como em moradia.

O luxo é algo muito subjetivo e a indústria mudou em razão de no panorama atual, o que se persegue é o natural e a fuga das aparências. P: como Correm os tempos bons pro turismo de luxo, entendendo-se por esse o requintado e exclusivo? R: Conhecer o perfil do turista de luxo nos dias de hoje é vital. Em razão de só compreendendo em profundidade quem é, como é e por que actua nosso freguês, podemos discernir suas necessidades.

Por outro lado, a recuperação económica de Portugal se deixou sentir no turismo de luxo. Em 2017, os bens e serviços exclusivos, representando um negócio próximo dos 9.200 milhões de euros e o ritmo de avanço é muito superior ao do resto da Europa. Até 2025, este negócio vai dobrar em nosso país e temos que estar preparados para esta finalidade. P: o Que lhe parece a um portador do turismo de luxo, o triunfo do low cost? R: Toda gente tem direito a viajar; de imediato bem, dito isto, em Portugal, não sabemos vender. O nosso povo tem estado a receber, durante décadas, um turismo que em insuficiente beneficiou as regiões que receberam e que é o pão para hoje e fome para amanhã.

Carecemos ser conscientes de que necessitamos começar a anunciar-se característica como um nação frente a esse turismo de massa, que tantos dificuldades, está originando em comunidades como a Catalunha. P: nesta escalada pro premium, o R: Para mim um ingrediente importante de qualquer espaço é a decoração.

P: o Que O hotel seria neste momento mesmo o emblema do luxo: em Portugal e no mundo? R: Para mim, a cadeia Anantara a grau mundial está indo muito bem. Dentro do setor de luxo do sudeste asiático, é uma fonte e cada um de seus hotéis cumpre as expectativas do visitante mais detalhista.

por